Vereador questiona destinação de R$ 7 milhões a hospitais que deveriam ser usados em obras sociais pela Águas Guariroba

03 Nov

Depois de analisar o contrato entre a Prefeitura de Campo Grande e a concessionária Águas Guariroba, o vereador André Salineiro questionou, mais uma vez, o alto valor das tarifas e preços dos serviços. Além disso, revelou informações que apontam desvio de finalidade na destinação de R$ 7 milhões, que deveriam ser usados em obras e ações para populações carentes da Capital, nos anos de 2006 e 2012, mas foram utilizados no pagamento de contas de água e esgoto de hospitais particulares.

O vereador também questionou a duração do contrato, ao usar a tribuna, nesta terça-feira (3). “É muito estranho que o contrato já tenha sido prorrogado duas vezes no intervalo de três dias e chegue a 60 anos. Todo esse contrato tem que ser revisto. Não podemos aceitar que o cidadão tenha que pagar R$ 114,58 por um serviço de religação, por exemplo, enquanto a Sanesul cobra R$ 18,98”, reclamou Salineiro.

Conforme o contrato, a concessionária tem que destinar anualmente percentual de até 0,5% do faturamento para “ampliação de obras e ações de interesse social, voltados para a população carente, conforme indicação dos locais e famílias pela Prefeitura, estabelecendo condições de pagamento para este serviço, compatíveis com os padrões de renda familiar”.

No entanto, os relatórios apontam destinação para implantação de rede de abastecimento de água e coletora de esgoto em diversos bairros, desde 2001, mas a Prefeitura não detalha se os moradores de baixa renda foram beneficiados com isenção ou abatimento do pagamento dos serviços. Já nos anos de 2006 e 2012, os valores foram destinados ao pagamento de contas do Hospital Evangélico de Campo Grande, Associação de Amparo à Maternidade e Santa Casa, que somam R$ 7.731.477,00.

Caroline Maldonado

#ENQUETE

O que pode melhorar a Segurança Pública?

GABINETE

ITINERANTE